O artigo de hoje traz mais uma dúvida constante dos clientes da Textuar: como escrever os numerais em um texto? A resposta inicial é que não existe uma regra decisiva para isso, mas existem convenções, padrões seguidos por manuais de redação, editoras, empresas em geral. Então, este post traz algumas das convenções que seguimos aqui na Textuar, em sua maioria baseadas no Manual de redação do Estadão. Veja a seguir.

a) De um a dez, escreva por extenso; a partir de 11, em algarismos (com exceção de cem e mil). Por exemplo: cinco pães, sete meninos, 13 meninas, 27 casas.

b) Em caso de mil, milhão, bilhão e trilhão, use o seguinte formato: a estimativa foi de 4 mil pessoas presentes na manifestação.

c) Em caso de números quebrados, use algarismos: O vereador recebeu apenas 1.754 votos. 

d) No caso dos ordinais, a regra é a mesma do item a: primeira hora, terceiro aniversário, 15.ª vez, 23.º ano consecutivo.

e) Quando houver enumerações com valores abaixo e acima de 11, use apenas algarismos: havia no cômodo 3 adultos, 40 crianças e 2 cães.

f) Caso não seja uma situação de enumeração, siga a regra do item a: Em três meses, 12 pessoas foram presas. 

g) Não inicie orações com algarismos; escreva o número por extenso: Treze carros envolveram-se no engarrafamento. 

h) Nunca use 0 (zero) antes de número inteiro, a não ser para indicar dezenas de loteria, números de referência, prefixos telefônicos e dígitos de computador. Para datas, número de páginas, horas, etc., adote sempre o número simples: 2/1/96 (e nunca 02/01/96); às 8 horas (e nunca às 08 horas); às 9h16 (e nunca às 09h16); chegará dia 9 (e nunca dia 09); na página 5 (e nunca na página 05.

i) Opte por escrever por extenso os números fracionários: um terço, dois quintos, etc.

Essas são, portanto, apenas algumas noções básicas sobre a escrita de numerais. Acompanhe os próximos artigos para saber mais sobre o tema. Até mais! 😀