Este artigo demorou, mas finalmente saiu! Muitas pessoas me perguntam como fazer “citação de citação”, então, vamos à resposta.

Ao desenvolver um referencial teórico, ocorre, por vezes, a dificuldade de acesso a fontes primárias, onde dado conteúdo foi apresentado pela primeira vez. Essa dificuldade pode ocorrer por diversos motivos, como o fato de algumas obras não estarem mais à venda, ou estarem à venda por um preço exorbitante que o acadêmico não pode pagar. Há também aqueles casos de exemplares escassos na biblioteca da universidade, ou ainda a inexistência de uma biblioteca. Então, a única saída é buscar este conteúdo em trabalhos já desenvolvidos com base na obra procurada. É aí que devemos fazer uma citação de citação.

Para facilitar a explicação, vamos a um exemplo prático.

Em 2013, Felícia Volkweis escreveu um artigo sobre tradução. Neste artigo, ela citou um trecho de uma obra de Paulo Rónai publicada em 2012:

Segundo Rónai (2012, p. 21), “pensa-se geralmente que a tradução fiel é a tradução literal, e que, portanto, qualquer tradução que não seja literal é livre”.

Você, ao escrever seu texto sobre o mesmo tema, pesquisou na internet, encontrou o artigo de Felícia e desejou usar essa mesma citação. Então, no seu trabalho, será necessário fazer uma citação dessa citação. Para isso, usa-se o termo “apud”, do latim, que significa “citado por”, “conforme”, “segundo”, como define a ABNT na NBR 10520:2002. No seu texto, portanto, você dirá o seguinte:

Segundo Rónai (2012, p. 21 apud VOLKWEIS, 2013, p. 4), “pensa-se geralmente que a tradução fiel é a tradução literal, e que, portanto, qualquer tradução que não seja literal é livre”.

Detalhadamente, entre parênteses temos: (ano da obra de Rónai + página da obra dele em que estava a citação originalmente, que foi mencionada por Felícia + apud (citado por) + VOLKWEIS (último nome da Felícia) + ano do trabalho dela + página do trabalho dela).

Podemos fazer isso tanto com uma citação direta quanto com uma indireta (se você não sabe a diferença entre uma e outra, clique aqui). No caso de citação de citação indireta, não precisamos mencionar os números das páginas, apesar de que o uso deles não estará incorreto.

Por fim, na seção intitulada “Referências”, você deve incluir a referência da obra que você consultou de fato, ou seja, a obra de Felícia Volkweis, não a obra de Paulo Rónai.

Pronto. Simples assim.

Será que fui clara? Bem, se houver dúvidas, faça uso dos comentários, aos quais responderei com muito prazer.

Antes de finalizar, cabe ressaltar um detalhe: é importante tentar evitar a citação de citação o máximo possível, pois não se pode garantir que aquele conteúdo citado por um terceiro é fiel ao seu original. Por isso, esforce-se para ter acesso às fontes primárias. Seu orientador ficará feliz! 🙂